terça-feira, 18 de outubro de 2016

Compartilhando experiências



Trabalhar com seres humanos, principalmente adolescentes, muitas vezes é complicado, porém, por outro lado também tem suas compensações.

O incentivo às vezes é a melhor ferramenta que temos e gratificar aquele aluno que se destacou na sala pode ser um bom caminho para ele mesmo sentir que ele pode ser recompensado pelo estudo não só pela nota, mas também, por reconhecimento, que alguém está prestando atenção nele e querendo que ele vá bem.

Prestar atenção ao comportamento, aos estudos, à disciplina tudo isso é válido, não apenas o aprendizado.

Há aqueles alunos que vão bem o ano inteiro mesmo com os bagunceiros querendo atrapalhar, há aqueles que começam o ano mal e apenas uma conversa com eles e com os pais os fazem despertar e melhorar, e como melhoram.

Neste terceiro bimestre tive alunos dos dois tipos citados acima e resolvi recompensá-los com uma lembrança, algo que um adolescente gostaria de ganhar, um livro de quadrinhos, uma bonequinha em forma de chaveiro, pequeno kit para escola da Hello Kitty. Foram apenas no máximo 3 por sala e em 4 salas. O mais incrível foi ver os olhinhos brilharem, ganhar um abraço de agradecimento e ver a felicidade no rosto daqueles que resolveram melhorar e conseguiram se destacar. Não tem preço.

A própria escola pode dar esse incentivo como um lanche, por exemplo, aos alunos escolhidos em conselho de classe. E claro, como eu fiz, dar uma outra lembrancinha também pelo desempenho em minhas aulas.

Não mais falando sobre incentivos, contudo ainda sobre pontos positivos, outra coisa a ser ressaltada é a presença de pais na reunião de pais e mestres, pois, é pela família que conhecemos o nosso alunado e a parceria da família com a escola é a melhor coisa que pode haver, afinal, a educação vem de casa e o aprendizado formal vem da escola, a preparação para a continuação dos estudos e para o mercado de trabalho. E o aluno é um só, tanto na família como na escola.

Nenhum comentário:

Postar um comentário