quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Trabalho em equipe

Trabalho feito a muitas mãos, com a pedagoga-coordenadora (dona desse blog), com uma educadora social e com as crianças da instituição. Provou que o trabalho em equipe vale a pena!








terça-feira, 4 de novembro de 2014

Diversidade cultural no Brasil

O Brasil, por apresentar uma grande dimensão territorial, possui uma vasta diversidade cultural. Os colonizadores europeus, a população indígena e os escravos africanos foram os primeiros responsáveis pela disseminação cultural no Brasil. Em seguida, os imigrantes italianos, japoneses, alemães, árabes, entre outros, contribuíram para a diversidade cultural do Brasil. Aspectos como a culinária, danças, religião são elementos que integram a cultura de um povo.
As regiões brasileiras apresentam diferentes peculiaridades culturais.
No Nordeste, a cultura é representada através de danças e festas como o bumba meu boi, maracatu, caboclinhos, carnaval, ciranda, coco, reisado, frevo, cavalhada e capoeira. A culinária típica é representada pelo sarapatel, buchada de bode, peixes e frutos do mar, arroz doce, bolo de fubá cozido, bolo de massa de mandioca, broa de milho verde, pamonha, cocada, tapioca, pé de moleque, entre tantos outros. A cultura nordestina também está presente no artesanato de rendas.


O Centro-Oeste brasileiro tem sua cultura representada pelas cavalhadas e procissão do fogaréu, no estado de Goiás; e o cururu em Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. A culinária é de origem indígena e recebe forte influência da culinária mineira e paulista. Os pratos principais são: galinhada com pequi e guariroba, empadão goiano, pamonha, angu, cural, os peixes do Pantanal – como o pintado, pacu e dourado.


As representações culturais no Norte do Brasil estão nas festas populares como o círio de Nazaré e festival de Parintins, a maior festa do boi-bumbá do país. A culinária apresenta uma grande herança indígena, baseada na mandioca e em peixes. Pratos como otacacá, pirarucu de casaca, pato no tucupi, picadinho de jacaré e mussarela de búfala são muito populares. As frutas típicas são: cupuaçu, bacuri, açaí, taperebá, graviola, buriti.


No Sudeste, várias festas populares de cunho religioso são celebradas no interior da região. Festa do divino, festejos da páscoa e dos santos padroeiros, com destaque para a peregrinação a Aparecida (SP), congada, cavalhadas em Minas Gerais, bumba meu boi, carnaval e peão de boiadeiro. A culinária é muito diversificada, os principais pratos são: queijo minas, pão de queijo, feijão tropeiro, tutu de feijão, moqueca capixaba, feijoada, farofa, pirão, etc.


O Sul apresenta aspectos culturais dos imigrantes portugueses, espanhóis e, principalmente, alemães e italianos. Algumas cidades ainda celebram as tradições dos antepassados em festas típicas, como a festa da uva (cultura italiana) e a oktoberfest (cultura alemã), o fandango de influência portuguesa e espanhola, pau de fita e congada. Na culinária estão presentes: churrasco, chimarrão, camarão, pirão de peixe, marreco assado, barreado (cozido de carne em uma panela de barro) e vinho.




sábado, 27 de setembro de 2014

terça-feira, 26 de agosto de 2014

Talvez um dos reais motivos do analfabetismo

Tanto fala-se do analfabetismo brasileiro, nas dificuldades de aprendizagem da leitura e escrita de muitas crianças.Contudo, muitos acham que basta construir creches e escolas. O que não é totalmente verdade.
É preciso que se entenda que, principalmente a Educação Infantil (conhecida ainda como creche) seja vista como processo de escolarização de uma criança.  É lá que ela vai aprender a conviver, a dividir, a começar a ver o mundo de forma diferente e, mais tarde, de um modo mais crítico. Afinal, ela veio ao mundo para viver, compreende-lo e entregar-lo.A insegurança dos pais muitas vezes é passada para os filhos.
Além disso,  o mundo atual é um mundo letrado, não tem como deixar que uma criança de 4 ou 5 anos não perceba que aqueles "desenhinhos", que são as letras, têm um sentido e que eles expressam sons.

Enfim, se a Educação Infantil fosse obrigatória e muitos pais criassem desde cedo seus filhos para o mundo, a escola (desde a Educação Infantil até o EM) poderia fazer seus papel de formar cidadãos críticos de que certamente construíram um mundo melhor.

sexta-feira, 16 de maio de 2014

Dica para EM

No Ensino Médio começa-se a estudar Literatura e alguns autores portugueses como Camões e Gil Vicente podem ser melhores compreendidos depois que a moçada assistir aos episódios de "Tudo o que é sólido pode derreter" - programa que passava na TV Cultura e que pode ser facilmente encontrado no You Tube.
Nele, a protagonista Tereza vive seu cotidiano adolescente que é misturado às histórias de livros clássicos como os dois citados acima, por exemplo.
Vale à pena! ;-)


quinta-feira, 15 de maio de 2014

Literatura para os nonos anos

Uma boa experiência que tive com nonos anos foi passar o filme (em desenho)
"Morte e Vida Severina" do livro de Jõao Cabral de Melo Neto
e uma pequena animação (em quadrinhos) de "A metamorfose" (Franz Kafka).
Depois de cada um, questões e discussão e no final de tudo, a contradição entre os dois,
pois, um mostra a total falta de dinheiro (pobreza extrema) e o outro mostra a escravidão
pelo trabalho, pelo dinheiro.

No fim, a confecção de um texto dissertativo sobre o assunto do consumismo, pobreza, etc. .

Ambos os "filmes" podem ser encontrados facilmente no You Tube.

Fica a dica! ;-)

terça-feira, 6 de maio de 2014

Alunos dissertam sobre a Copa - NOTA 10!!!

Uma aluna e um aluno da primeira série do EM da EE Moacyr Santos de Campos disseratram sobre o tema "Copa no Brasil", mas com o enfoque nos problemas que ela está trazendo.

Não tinha como eu, como professora deles, elogiá-los e, claro, postar suas redações aqui:








domingo, 4 de maio de 2014

Parte interessante de uma matéria...


...que saiu na Revista Época em Janeiro desse ano (2014). Parte, aliás, que trabalhei com os alunos paralelamente a uma outra matéria da Revista Atrevida de 2012 que fala sobre "Meninas do Crime".
Enfim, trabalhar a adolescência com os próprios adolescentes e algo bem interessante.

domingo, 20 de abril de 2014

segunda-feira, 17 de março de 2014

O jornal na sala de aula

Um bom projeto para se trabalhar diversos gêneros textuais é o jornal. Além de se poder também,  trabalhar diversos temas como drogas, conservação do meio ambiente e do patrimônio, violência, gravidez na adolescência, etc. .
Um jornal possui diversos gêneros como: notícia, texto de opinião, quadrinhos, charge, anúncios publicitários.
Primeiramente deve-se apresentar um jornal aos alunos, um trabalho que pode ser feito em grupos.
Depois, mostrar os diversos gêneros que nele estão contidos, além de, expor sobre os profissionais que trabalham em um jornal e o público alvo que ele pretende atingir.
Pedir aos alunos para recortarem uma foto de um jornal e criarem uma notícia sobre isso é uma forma de se iniciar esse trabalho.
Mais sobre o assunto será postado aqui posteriormente junto com alguns exemplos reais.